segunda-feira, 25 de novembro de 2013

A MORTE, Maurice Maeterlinck

Maurice Maeterlinck, um dos mais notáveis escritores do século vinte, prêmio Nobel de Literatura de 1911, pesquisou profundamente as comunicações espíritas e os fenômenos psíquicos, na tentativa de levantar o véu de mistério que encobre a morte.
Além de ser um poeta aclamado, dramaturgo e ficcionista, também ficou conhecido pelos seus ensaios, onde a filosofia serena junta a graça da poesia e a precisão da linguagem. Sua prosa clara e harmoniosa não se limita apenas à forma, mas é permeada de pensamentos singularmente profundos.
Maeterlinck não só leu a respeito de espiritismo, teosofia e religiões orientais, como frequentou sessões, observou médiuns no seu trabalho e conversou com entidades ditas desencarnadas. E ao final de tudo, se não levanta em definitivo o véu de mistério que encobre a morte, nos conduz através de serenas e profundas análises a uma reflexão sobre ela. Ao estabelecer a impossibilidade da aniquilação total e concluir pela certeza da sobrevivência da alma, Maeterlinck deixa ao leitor uma mensagem final consoladora e positiva.

Leia mais em: "Maeterlinck e a morte"http://jornalivros.com.br

A MORTE, Maurice Maeterlinck. Tradução portuguesa de Cândido de Figueiredo, revista e atualizada. Prefácio e nota biográfica de Maeterlinck por Bira Câmara, 203 páginas, formato 13,5 X 18 cm.