domingo, 12 de julho de 2020

Luzes sobre o Apocalipse


de Jean André de Luc

Publicado em 1832, este livro comprova que o Apocalipse nada mais é do que um pastiche de profecias tiradas do Velho Testamento, junto com elementos da simbologia astrológica dos caldeus. Apesar da resistência de muitos padres doutores que suspeitaram da identidade do seu verdadeiro autor e de sua matriz pagã, ele  acabou se tornando texto canônico da Igreja, inspirando os mais desvairados delírios milenaristas ao longo do tempo.

Leia mais em:

Apocalipse: um cavalo de tróia no Cristianismo?

quinta-feira, 2 de janeiro de 2020

PRÓXIMOS LANÇAMENTOS

EM BREVE:

Uma Estranha História, de Edward  Bulwer-Lytton

O romance de Bulwer-Lytton que mereceu elogios de Charles Dickens e influenciou Bram Stoker, onde ele aborda os mais diversos fenômenos paranormais que marcaram sua obra literária, magia, alquimia e a busca da imortalidade: Uma Estranha História (1862)



Leia mais....


Texto integral, ilustrado. 1a edição em língua portuguesa.
Tradução e prefácio de Bira Câmara. 
Brochura, 440 págs. 14 X 20 cm. 




A Noite de Walpugis, de Gustav Meyrink

Todos os anos, na noite de 30 de abril, as portas do Inferno se abrem, fantasmas são libertados e os mortos passam a interferir no mundo dos vivos. História, mito e realidade política se fundem neste estranho romance de Gustav Meyrink.











Tudo o que você queria saber sobre

Sociedades Secretas e Nova Ordem Mundial

de Thelonius Wolf

Uma obra para ajudá-lo a entender o que é Nova Ordem e o papel das sociedades secretas na sua implementação

"A grande massa está sendo levada docilmente a aceitar a escravidão da Nova Ordem, como gado conduzido ao abatedouro."



Brochura, 214 páginas, formato 14 X 20,5 cm., ilustrada. 2019

Illuminati — A Genealogia do Mal

de Cláudio Suenaga

Rotuladas como Illuminati, as sociedades secretas e as elites dirigentes detém um vasto poder de manobrar a história e moldar o futuro conforme os seus planos.
Na presente situação em que se encontra o mundo pós-moderno, não há mais como duvidar que os acontecimentos estão sendo dirigidos por um poder acima dos governos
A implantação de um governo totalitário mundial, destinado a controlar a vida de tudo e todos, está em pleno andamento. 

segunda-feira, 25 de março de 2019

Rosaura, a Enjeitada

Um dos últimos livros de Bernardo, resgata seu passado estudantil, relembra os amigos e evoca um sentimento que resistiu ao tempo, atravessou os séculos, e chegou até nossos dias.
Rosaura, tal qual outra famosa personagem de Bernardo Guimarães, traz à tona discussões sobre a escravidão. Entretanto, de modo perspicaz, o autor utiliza em sua cativa uma paleta de tons diferente.

Leia mais...


Brochura, 276 páginas, formato 145 X 20 cm. Prefácio de Luciana Fátima.
Bira Câmara Editor 2019


terça-feira, 15 de janeiro de 2019

O Mártir do Gólgota, de Pérez Escrich

A partir de sua experiência como autor folhetinesco, Pérez Escrich resgatou a figura de Cristo da glória imortal à ficção no mais célebre de seus romances, O Mártir do Gólgota, publicado pela primeira vez em cinco volumes entre 1863 e 64.


Combinando História e ficção, Pérez Escrich consegue em O Mártir do Gólgota respeitar a veracidade da figura de Cristo sem sacrificar sua imaginação de romancista. O cenário político da Judeia na época do nascimento de Cristo, o mundo decadente da Roma imperial, a sequência histórica da vida de Cristo à luz do Evangelho, a perseguição dos cristãos pelo paganismo romano são mostrados nesta obra com fidelidade à essência da sua doutrina.


Brochura, 480 páginas, formato 14 X 21 cm. Com ilustrações de Gustave Doré.

terça-feira, 1 de janeiro de 2019

Textos Selecionados de Albino Forjaz de Sampaio

Coletânea reune textos de Albino Forjaz de Sampaio, lançamento que coincide com o 70º aniversário de sua morte. 

Esta obra tem um pouco de tudo da vasta obra de Albino, reunindo algumas crônicas e prefácios do autor, que servirão para o leitor brasileiro — que leu dele apenas Palavras Cínicas — fazer melhor juízo da sua produção literária.



Seleção e prefácio de Marcos T. R. Almeida - Brochura, 140 páginas, 13,5 X 20 cm. Ilustrada.

segunda-feira, 1 de outubro de 2018

O REI CANDOLE, de Théophile Gautier

Publicado na imprensa francesa em outubro de 1844, o Rei Candole de Theofile Gautier é uma novela inspirada em Heródoto: no final do século VII, o rei de Sardes Candole foi morto por Gygès, da dinastia Mermnades, que se instalou em seu lugar no trono da Lídia. A imaginação prodigiosa de Gautier deu vida e preencheu com detalhes este relato conciso, brindando-nos com uma obra bela, encantadora e monumental, que mereceu elogios de Victor Hugo ao ser publicada.

Reeditado somente em 1893, o livro foi ilustrado por Paul Avril, com uma série de gravuras elegantes e de uma deliciosa delicadeza, e também com prefácio de Anatole France. No Brasil, a obra mereceu uma magistral versão de Salvador de Mendonça, que os fãs de Gautier com certeza haverão de apreciar.

Leia mais...


Brochura, ilustrada, 114 páginas, formato 13,5 X 19 cm.


sábado, 1 de setembro de 2018

A Superstição Socialista, de Raphael Garofalo

Uma obra que refuta as principais falácias dos socialistas teóricos e demonstra a
vacuidade dos argumentos supostamente científicos do socialismo, à luz da ciência
positiva, da psicologia, da história, da economia e do direito.

Reedição da tradução portuguesa da Livraria Clássica Ed. (1904) por Julio de Mattos (1856-1922).
Atualização ortográfica de Bira Câmara.

Leia mais...


Brochura, 192 págs., formato 13,5 X 20,5 cm.



segunda-feira, 5 de março de 2018

ENSAIO ACERCA DA TRAGÉDIA, de Tibúrcio Craveiro

Obra publicada originalmente em 1843 e só agora reeditada.


Tibúrcio Craveiro é o primeiro autor byro­nia­no a surgir no Brasil e tornou-se um grande dissemina­dor do bardo inglês em nosso país, através de sua tradução de Lara.

Português de nascimento, poeta, teatrólo­go, professor e historiador, nasceu em Angra do Heroís­mo, nos Açores, a 4 de Maio de 1800. Viveu dois anos em Londres, onde teve de exilar-se em 1824, e depois emigrou para o Brasil.
Maníaco e epilético, ido­latrava Byron e chegou ao exagero na imitação das excentricidades de seu ídolo. Em sua casa cercou-se de tudo o que se possa imaginar de macabro: caveiras, múmias e até o mármore negro do túmu­lo de um car­rasco. Sua biblioteca era repleta de livros sobre enforcamentos e suicídios, e as paredes decoradas com esguichos de sangue…


Brochura, 84 páginas, formato 13,5 X 19,5 cm. Atualização ortográfica e prefácio de Bira Câmara.

quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

LARA, de Lord Byron

Fac-simile da edição brasileira de 1837, primeira tradução da obra de Byron no Brasil por Tibúrcio Craveiro. Com nota biográfica do tradutor. 


"Esta obra de Byron é um poema narrativo trágico, publicado pela primeira vez em 1814. Considerado pela crítica como uma continuação do trabalho autobiográfico iniciado em O Corsário, narra o destino fatídico do Conde Lara ao voltar para sua casa depois de passar anos no exterior viajando pelo Oriente.
Segundo Walter Scott, Byron, “este novo Rafael da poesia se retratara perfeitamente a si mesmo na pessoa de Lara; mas não quis pintar um ser perverso que ele mesmo não o seria. Lord Byron padecia de uma doença de espírito, que atormentou a muitos grandes homens.”


Brochura, 78 páginas, formato 11,5 X 18 cm.

quarta-feira, 3 de janeiro de 2018

OS ARGONAUTAS, de Virgílio Várzea

Publicado em 1905, esta obra do escritor catarinense Virgílio Várzea é uma verdadeira raridade literária, burilada com delicada ourivessaria literária.

Apesar de filiado à corrente naturalista, nesta obra Virgílio Várzea reconta com sabor decadentista a saga de Jasão em busca do Velocino de Ouro. Na mitologia grega os argonautas eram tripulantes da nau Argo que, segundo a lenda grega, viajaram até a Cólquida (atual Geórgia) em busca do Tosão de ouro (ou Velocino de ouro).

Leia mais...

Brochura, Ilustrada,137 páginas, formato 11,5 X 18,5 cm.
Atualização ortográfica e prefácio de Bira Câmara.

sábado, 17 de junho de 2017

Dois contos de Hoffmann, que revelam a sua versatilidade

O Elixir do Diabo Mademoiselle de Scudéry , dois trabalhos de Hoffmann pouco conhecidos no Brasil. O primeiro traz a marca característica do autor: o fantástico desenfreado, o non-sense e o grotesco. Já no segundo, o autor explora um acontecimento histórico para criar uma verdadeira trama policialesca, antecipando um gênero de literatura que se consagraria mais tarde com autores como Paul Féval e Edgar Allan Pöe.

Leia mais...

Brochura, 152 páginas, formato 12,5 X 20 cm. 2017

quinta-feira, 9 de março de 2017

O Inferno do Bibliófilo, de Charles Asselineau

Publicada em 1905, esta curiosa obra aborda em tom de sátira o pitoresco universo dos bouquineurs (amantes de livros antigos e raros) e suas atribulações.


Leia mais...



Tradução e prefácio de Bira Câmara. Brochura, 72 páginas, formato 13 X 19,4 cm., ilustrada.